SETOR DE REPRODUÇÃO HUMANA HOSPITAL DAS CLÍNICAS - HCRP Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - FMRP/USP

Estágio

O SETOR DE REPRODUÇÃO HUMANA DO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA – FMRP/USP OFERECE DOIS ESTÁGIOS

ESTÁGIO PUBLICO ALVO
Estágio de Complementação Especializada em Reprodução Humana Médicos que finalizaram o 3º ano de residência em Ginecologia e Obstetrícia
Estágio de Médico Adido Reprodução Humana para médicos com residência em Ginecologia e Obstetrícia ou portadores do TEGO

Sexologia para médicos com residência em Ginecologia e Obstetrícia ou portadores do TEGO

ESTÁGIO DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA EM REPRODUÇÃO HUMANA – 1 de março de 2016 a 28 de fevereiro de 2017

O Estágio de Medico Adido – Estágio de Complementação Especializada, na área de Reprodução Humana, tem duração de um ano (1 de fevereiro de 2016 a 28 de fevereiro de 2017) e visa oferecer o embasamento teórico e prover os cenários de prática profissional que permitam ao médico estar capacitado para o correto desempenho profissional na área de Reprodução Humana, com ênfase em Infertilidade Conjugal, Reprodução Assistida, Ginecologia Endócrina e Infanto-Puberal, Anticoncepção e Climatério. O estagiário terá 4 semanas de férias.

Os objetivos específicos do estágio são:

  • Oferecer condições para o diagnóstico e o tratamento da infertilidade conjugal.
  • Fornecer subsídios para a indicação das técnicas de Reprodução Humana Assistida de baixa complexidade (inseminação intra-útero) e alta complexidade (fertilização in vitro – FIV e injeção intracitoplasmática de espermatozóide – ICSI).
  • Oferecer condições para a indicação da estimulação ovariana farmacológica para técnicas de Reprodução Humana Assistida de baixa e alta complexidade.
  • Capacitar o profissional para a realização de monitoramento do desenvolvimento folicular em procedimentos de indução da ovulação para coito programado e inseminação intra-uterina.
  • Fornecer ao profissional as noções básicas de aspiração folicular em ciclos estimulados com gonadotrofinas e de transferência de embriões.
  •  Fornecer ao profissional as noções básicas sobre preparo endometrial para procedimentos de transferência embrionária em ciclos de embriões criopreservados.
  • Propiciar noções de rotina do Laboratório de Andrologia e Fertilização in vitro.
  •  Reconhecer que o planejamento familiar inclui medidas relativas à contracepção e abordagem da infertilidade.
  • Capacitar o médico para realizar o diagnóstico diferencial e abordagem terapêutica das principais etiologias de anovulação crônica.
  • Capacitar o profissional a reconhecer a evolução puberal normal e diagnosticar e conduzir clinicamente as portadoras de puberdade precoce.
  •  Capacitar o profissional para realizar o diagnóstico e tratamento das disfunções sexuais femininas e terapia hormonal para os portadores de distúrbios da identidade de gênero (transexuais, travestis).
  • Atualizar o médico em contracepção hormonal e não hormonal, capacitando-o a oferecer o método mais apropriado para mulheres com e sem morbidades associadas, nas diferentes fases da vida.
  • Capacitar o médico para o adequado atendimento de mulheres climatéricas, com ênfase para a racionalidade propedêutica, abordagem terapêutica hormonal e não hormonal.

Resumo do programa:

2ª feira

3ª feira

4ª feira

5ª feira

6ª feira

1

Lab GO

M

7:30H

Lab1 GO

Lab1 GO

Lab1 GO

Lab1 GO

Lab1 GO

T

13:30H

AV

AV

US

AV

US

2

Lab GO 2

M

7:30 às 14:00 H

Lab2 GO

Lab2 GO

Lab2 GO

Lab2 GO

Lab2 GO

T

US

AV

AV

US

AV

3

Ambulatório1

M

ACLI

AEST

AESH

AACG

AECG

T

Revisão dos prontuários do AEST

AGIP

Reunião DDS- 4ªf antes da última 6ªf do mês

AV

AV

DDS (qdo apresentada necessidade de avaliação na reunião da 4ª feira)

AV

4

Ambulatório2

M

ACLI

AEST

AV

AACG

AECG

T

AMB Soro discordante

AGIP

AV

Revisão dos prontuários do AECG

AV

NOTA: AV: área verde

LAB 1: responsável por:

  • Consulta Pré-basal: realizada na fase folicular precoce do ciclo menstrual que antecede o ciclo de reprodução assistida. Neste dia a paciente vem em jejum e é submetida a coleta de sangue, US transvaginal (com contagem de folículos antrais) e avaliação médica (checar se todos os exames estão em dia e definir uso de agonista ou antagonista do GnRH)
  • Reunião pré-basal: a ser agendada com o docente escalado como responsável pelo basal, antes do início do basal. Avaliar todo o prontuário médico, anotar todos os dados clínicos/laboratoriais na ficha do ciclo de RA ao qual a paciente será submetida e fazer o resumo na folha da frente do prontuário. Preencher, datar e assinar a folha de ata e pegar a assinatura do responsável.
  • Reunião com urologia: a ser agendada com o Dr. Yuri, urologia, antes do início do basal (falar com ele no AEST ou por celular). Separar todos os casos com indicação de PESA/TESE ou com menos de 1 milhão de espermatozoides / mL (espermograma feito até 3 meses antes do basal). Preencher, datar e assinar a folha de ata e pegar a assinatura do responsável.
  • Revisão pós-basal: a ser agendada com o docente escalado como responsável pelo basal, logo após o término do basal. Reavaliar o prontuário médico, checar se todos os dados clínicos/laboratoriais estão adequadamente preenchidos na ficha do ciclo de RA ao qual a paciente foi submetida e preencher dados que estiverem faltando. Checar se os TCLE (reprodução assistida e congelamento de óvulos e/ou embriões, caso este últimos procedimentos tenham sido realizados) foram preenchidos e assinados pelo médico e pacientes. Preencher, datar e assinar a folha de ata e pegar a assinatura do responsável.
  • Acompanhamento clínico/ecográfico das pacientes realizando indução da ovulação para IUI/ICSI e realização das inseminações intra-uterinas.

LAB2: responsável pelos procedimentos (CO, TE, TEc). Acompanhamento das captações oocitárias e, a critério do ultrassonografista responsável pela punção, realização do procedimento sob supervisão. No primeiro semestre acompanhamento, como observadoras, das transferências embrionárias (embriões frescos e congelados). No segundo semestre, a critério do preceptor clínico responsável, poderão realizar transferências embrionárias (embriões frescos e congelados) em casos selecionados. Realização do agendamento das captações no computador e revisão dos casos no dia do agendamento. Das 13 às 14 horas estar disponível para atendimento das ligações telefônicas das pacientes.

OBSERVAÇÕES:

O Ambulatório para atendimento de pacientes soro discordantes HIV (mulher negativa e homem positivo) será realizado no laboratório de GO. O início das atividades está previsto para março (avisaremos com antecedência a data de início das atividades

A partir de março serão agendados mutirões para a realização de triagens do AEST, a serem realizados no laboratório de GO. A equipe será avisada das datas com antecedência.

Descrição dos cenários de ensino-aprendizagem:

Ambulatórios:atendimento das pacientes e acompanhamento das discussões de casos clínicos sob supervisão (médicos assistentes e docentes do Setor de Reprodução Humana).

Perfil dos ambulatórios:

  • ACLI (ambulatório de climatério): atendimento predominantemente de pacientes no período da perimenopausa ou pós menopausa, natural ou prematura, com sintomatologia decorrente de hipoestrogenismo e/ou sangramento vaginal anormal significativo que sejam  portadoras de alguma co-morbidade associada, tais como: doenças oncológicas, hipertensão arterial, dislipidemias, colelitíase, diabetes, doenças auto-imune; pacientes climatéricas de alto risco de desenvolver osteoporose que necessitam seguimento e orientação, tais como: fratura com trauma de baixo impacto, IMC < 21 Kg/m2, forte história familiar de osteoporose, uso de glicocorticóides sistêmicos (por mais de 3 anos), excluindo tabagismo apenas; mulheres que mantenham ondas de calor com a TRH convencional da rede.
  • AEST (ambulatório de esterilidade): casais com diagnóstico de infertilidade de causas diversas, com indicação de tratamento de baixa (monitorização de ciclo natural ou induzido) ou de alta complexidade FIV/ ICSI/ Transferência de embriões congelados, doação de sêmen e de oócitos e maturação de in vitro de oócitos para Reprodução assistida). / AFERT (ambulatório de fertilidade): casos de aborto de repetição e tentativa de preservação de fertilidade pré-terapias potencialmente esterilizantes.
  • AESH (ambulatório de estudos em sexualidade humana): pacientes com disfunções sexuais e seus parceiros disfuncionantes (desejo sexual hipoativo, insatisfação sexual, dispareunia, vaginismo) e casos de transtorno de identidade de gênero (transexuais, travestis).
  • AGIP (ambulatório de ginecologia infanto-puberal):predominantemente crianças e adolescentes com anomalias Mullerianas, anovulação crônica e puberdade precoce.
  • AACG (ambulatório de anticoncepção):pacientes com comorbidades e com desejo de contracepção.
  • AECG (ambulatório de endocrinologia ginecológica):pacientes com distúrbios endócrinos relacionados à anovulação crônica, amenorréia primária, malformações müllerianas e estados intersexuais.
  • Laboratório de GO: acompanhamento de ciclos de indução de ovulação para Reprodução Assistida de baixa complexidade (monitorização de ciclo natural ou induzido) e de estimulação ovariana para tratamentos de RA de alta complexidade (FIV/ ICSI/ Transferência de embriões congelados, doação de sêmen e de oócitos e maturação in vitro de oócitos para Reprodução Assistida). Para tal haverá acompanhamento das ultrasonografias de monitorização dos ciclos, realização de procedimentos de captação de oócitos, acompanhamento dos casos de transferência de embriões (frescos e congelados/descongelados). E se for de interesse, acompanhamento do preparo seminal para os procedimentos de reprodução assistida e congelamento de embriões e sêmen.

Equipe Médica

  • Docentes Depto GO:Rui Alberto Ferriani, Marcos Felipe Silva de Sá, Rosana Maria dos Reis, Paula Andrea de Albuquerque Salles Navarro, Ana Carolina Japur de Sá Rosa e Silva, Carolina Sales Vieira Macedo, Maria Célia Mendes.
  • Médicos Assistentes:Anderson Sanches Melo, Laura F. Santana, Erciliene Moraes Martins, Mariane Nunes, Lucia Alves S Lara, Stael Porto Leite, Julia Kefalass Troncon